domingo, 4 de novembro de 2007

Fora do casulo


Não há nada aqui que não tenha passado por uma transmutação...
Se não entender, leia de novo, porquê tudo isso é sobre você mesmo o tempo todo.
É menos confuso quando se presta atenção em algo se movendo em fragmentos...
Não procure aqui alívio para suas dores sinta ela sozinho, cansei de me importar mais com você do que comigo mesmo. Queria fazer as coisas diferentes mas não posso voltar atrás e sabemos que é assim que elas devem serem feitas. E ainda que conseguisse voltar, não conseguiria fingir que sou como eles, ou será que sim?
Estou abrindo minhas asas, e voando o mais longe possível de você...


Marcelo Rutshell.

6 comentários:

blog de um roqueiro!!! disse...

é pense que sua vida nao eh a unica a ter ciclos e os "ciclos" sao para nossa evoluçao como espiritos ateh que nossa alma possa ser olhada por dentro e nao mais haver odio nem tristeza mais o sentido da eternidade.

Tiago disse...

bah loko achei muito tri este teu blog fico muito loko e a guria da foto q aparesse eu conhesso ela (só de vista) ela estudava no conego tu era pra sr poeta fico muito bom mesmo show

Bruna disse...

Meu poetinha n consegui gostar menus de algum sabi... aii n eh atoa que tu tem esse jeitinhu fofu e amavel q tanto gosto... e quando eu digu q tu manda bm cm as palavras tu ti faz neh tanto cm elas quanto cm u saber se expressar...jah ti adoroo sabia e adoro mais ainda saber que conheci i to conhecendo essa pessoinha que eh vc ki mi cativa a cada dia ♥

Gabii disse...

nossa não sabia que escrevia tão bem
*0*

maiara da rosa disse...

Nossa mtoooo legal msm!!!
Baita poeta que tu és Marcelinho.
Tenho mto orgulho em ser tua amiga!!!
Vou continuar sempre visitando...

Coisas sem pensar disse...

Simplesmente sem comentarios...
De mais cara, é isso mesmo, feliz ou infelismente as metamorfoses são indispensaveis!!